Pela segunda temporada consecutiva, o sonho do Palmeiras na Copa Libertadores durou pouco. Na noite desta quarta-feira, diante de mais de 38 mil torcedores no Estádio Palestra Itália, o Barcelona de Guaiaquil perdeu por 1 a 0 no tempo normal, mas ganhou por 5 a 4 nos pênaltis e eliminou o time brasileiro nas oitavas de final.Com o sonho de conquistar o bicampeonato da Libertadores e participar do Mundial, o Palmeiras investiu pesado e contratou 14 reforços. Ainda assim, disputou apenas oito partidas pelo torneio. Na semifinal do Campeonato Paulista, caiu para a modesta Ponte Preta e, nas quartas da Copa do Brasil, deu adeus contra o Cruzeiro.

A 15 pontos do líder Corinthians no Campeonato Brasileiro, o Palmeiras tem como meta encerrar o torneio na zona de classificação à Copa Libertadores de 2018. Pela 20ª rodada do torneio nacional, às 16 horas deste domingo, o time comandado pelo técnico Cuca entra em campo para enfrentar o Vasco, no Raulino de Oliveira.

O Jogo – Saudado por sua torcida com um mosaico gigante, o Palmeiras tratou de tomar a iniciativa desde o começo, mas não conseguiu dar muito trabalho ao goleiro Banguera durante o primeiro tempo. Dudu, em cobrança de falta, e Deyverson, em uma cabeçada, levaram algum perigo.

Com a vantagem do empate, o Barcelona procurou ganhar tempo em cada bola parada, de cobranças de escanteio a tiros de meta. Na melhor chance do time visitante durante a etapa inicial, Castillo foi lançado pela direita e Jailson ficou no meio do caminho. O equatoriano cruzou e Caicedo, do lado oposto, mandou para fora.

Antes mesmos dos 40 minutos do primeiro tempo, parte da torcida chegou a pedir a entrada do meio-campista Moisés. Quem entrou, porém, foi o zagueiro Edu Dracena, já que o colombiano Yerry Mina precisou deixar a partida de maneira precoce por lesão.

No intervalo, Cuca trocou Roger Guedes por Moisés, deslocando Dudu para a ponta direita. A alteração funcionou, e o Palmeiras saiu na frente logo aos 5 minutos. Em um contra-ataque, Moisés lançou Dudu pela direita e correu. O camisa 10 recebeu de volta, limpou a marcação de Caicedo dentro da área e finalizou com categoria.

O Barcelona respondeu rápido e acertou a trave direita do goleiro Jailson em um chute rasteiro desferido por Álvez. Em um jogo franco no Palestra Itália, o Palmeiras carimbou o travessão do goleiro Banguera com Keno após cruzamento de Bruno Henrique.

Impossibilitado de seguir em campo por problemas físicos, Dudu acabou substituído por Guerra. A despeito de contar com mais um meia, o Palmeiras exagerou nos chutões da defesa e não conseguiu criar novas chances de gol. A exemplo do Barcelona, o que levou a decisão para os pênaltis.

Pelo Palmeiras, converteram Guerra, Tchê Tchê, Keno e Moisés. Bruno Henrique desperdiçou. Pelo Barcelona, converteram Álvez, Oyola, Segundo Castillo e Caicedo. Diaz teve a chance de encerrar a disputa, mas parou em Jailson. Nos alternados, Ayovi marcou e Egídio perdeu. Assim, o time equatoriano ganhou por 5 a 4 e avançou às quartas de final.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 1 (4) x (5) 0 BARCELONA DE GUAIAQUIL

Local: Estádio Palestra Itália, em São Paulo (SP)
Data: 9 de agosto de 2017, quarta-feira
Horário: 21h45 (Brasília)
Árbitro: Nestor Pitana (ARG)
Assistentes: Hernan Maidana e Juan Pablo Belatti (ARG)
Público: 38.310 pagantes
Renda: R$ 3.343.320,49
Cartões amarelos: Edu Dracena e Thiago Santos (PAL); Castillo, Oyola, Caicedo (BAR)
Gol:
PALMEIRAS: Moisés, aos 5 minutos do 2º Tempo. Nos pênaltis, Guerra, Tchê Tchê, Keno e Moisés marcaram
BARCELONA: Nos pênaltis, Álvez, Oyola, Segundo Castillo, Caicedo e Ayovi marcaram

PALMEIRAS: Jailson; Tchê Tchê, Mina (Edu Dracena), Luan e Egídio; Thiago Santos e Bruno Henrique; Roger Guedes (Moisés), Dudu (Guerra) e Keno; Deyverson
Técnico: Cuca

BARCELONA: Banguera; Pineida (Valencia), Aimar, Velasco, Arreaga, Minda (Segundo Castillo), Oyola, Marcos Caicedo, Ayoví, Castillo (Diaz) e Álvez
Técnico: Guillermo Almada

Atlético-MG fica no empate e é eliminado em casa na Copa Libertadores

De nada adiantou ter a melhor campanha para a decisão e poder fazer o segundo jogo em casa. Menos ainda ter a torcida a seu favor, jogar com os gritos apaixonados e o tradicional “eu acredito” para dar sorte. Em uma profunda crise – que promete se agravar agora – o Atlético-MG apenas empatou por 0 a 0, com o Jorge Wilstermann, na noite desta quarta-feira, no Mineirão. O resultado da noite desta quarta-feira elimina o Galo da Copa Libertadores e dá ao clube boliviano a chance disputar com o River na próxima fase.

Galo luta bastante, mas acaba fora da Libertadores (Foto: DOUGLAS MAGNO/AFP)

Foi um ataque contra defesa. O Galo desde o primeiro minuto do jogo atacou, tentou abrir o marcador, mas parou na postura defensiva do Jorge Wilstermann. O time boliviano se segurou com duas linhas bem montadas e garantiu sua classificação sem dar qualquer trabalho ao goleiro Victor.

O Galo volta a campo no fim de semana, contra o Flamengo, pelo Campeonato Brasileiro, no Independência. Junto com isso terá de trabalhar internamente na intensa crise que vive nos bastidores.

Primeiro tempo

O Atlético, como era esperado, começou melhor o jogo. A equipe alvinegra buscou o ataque querendo resolver logo sua situação. Nos primeiros minutos o Galo já tinha chegado, pelo menos, duas vezes, a primeira com muito perigo.

A postura do Jorge Wilstermann, entretanto, atrapalhava a vida atleticana. O time boliviano tinha duas linhas defensivas próximas, a primeira, mais próxima ao gol, com cinco atletas e a segunda com quatro. Sem contar com os atacantes que ainda ajudavam na recomposição.

O clube visitante claramente se comportava como o esperado: jogaria se defendendo bastante e contando com a sorte da liberdade em poucas bolas para conseguir um gol e atrapalhar os planos alvinegros.

A equipe atleticana apresentou grande crescimento em relação aos jogos anteriores. O time de Micale chegava pelas pontas – algo que se transformou numa normalidade, com cruzamentos na área o tempo inteiro -, mas também agrediu pelo meio. Em diversos momentos conseguiu ter infiltrações e chegadas mais perigosas.

O Galo, porém, parou nos próprios erros. O time teve, pelo menos, três chances claríssimas de abrir o marcador, mas não conseguiu.

Segundo tempo

A etapa complementar seguiu igual. O Galo pressionando bastante e encontrando a mesma dificuldade para furar o bloqueio feito pelo time boliviano.

O Wilstermann continuou com a primeira linha de cinco atletas, o que dificultava bastante a vida atleticana. Para tentar algo melhor, Micale colocou em campo o meia Valdívia. A pressão do Atlético seguia gingante, com direito a bola na trave do jovem Luan.

Na metade do segundo tempo, Luan deixou o gramado. Robinho foi colocado no lugar. Após isso o Atlético perdeu em intensidade, parte pela falta de Luan outra metade por já estar desgastado em campo.

A pressão que era grande foi aumentando, mesmo com o cansaço o time alvinegro buscava o ataque. Porém, o Wilstermann também intensificou sua marcação. A linha que antes era de cinco se transformou em sete. O time de vermelho praticamente não tinha ataque. Nos últimos minutos, já nos acréscimos, Robinho perdeu um gol na cara, na pequena área, e o Galo foi eliminado.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 0 X 0 JORGE WILSTERMANN

Local: Estádio Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data: 09 de agosto de 2017, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: José Argote

Cartões: Saucedo (Jorge Wilstermann); Marcos Rocha (Atlético-MG)

ATLÉTICO: Victor, Marcos Rocha, Leonardo Silva, Gabriel, Fábio Santos, Rafael Carioca, Adílson (Valdívia), Elias (Otero), Cazares, Luan (Robinho), Fred.
Técnico: Rogério Micale

JORGE WILSTERMANN: Olivares, Omar Morales (Rudy Cardozo), Alex Silva, Zenteno, Aponte, Cristhian Machado, Saucedo, Bergese (Chavez), Jorge Ortiz, Serginho, Gilbert Alvarez (Pedriel).
Técnico: R. Mosquera.

Grêmio vence de virada e encerra sina na Libertadores

Na Arena, o Grêmio venceu o Godoy Cruz-ARG por 2 a 1 de virada e garantiu classificação para as quartas de finais da Copa Libertadores. Os dois gols gremistas foram marcados pelo atacante Pedro Rocha. Na soma de resultados, o Tricolor fez 3 a 1 na equipe argentina. Com isso, o time gaúcho quebrou a sina que tinha desde 2011, de não conseguir passar das oitavas de final do torneio continental.

Para o jogo da noite, o técnico Renato Portaluppi optou por colocar o experiente volante Maicon fazendo dupla com Michel no meio de campo. Assim, o garoto Arthur iniciou a partida no banco de reservas. Na lateral direita, Edílson foi vetado pelo Departamento Médico gremista e Léo Moura seguiu na posição.

Pedro Rocha marcou os dois gols do Grêmio no jogo (Foto: Lucas Uebel/GFBPA)

O JOGO
A partida começou muito disputada no meio de campo com as duas equipes marcando forte e sem deixar espaços. A primeira tentativa de finalização foi do Grêmio com o volante Michel. O jogador arriscou de longe sem perigo ao gol defendido pelo estreante Burián.

Em seguida, o Godoy Cruz-ARG iniciou uma pressão. Em boa chegada, o time argentino deu um susto no torcedor gremista. O atacante Juan Garro recebeu a bola nas costas do lateral esquerdo Bruno Cortez e dentro da área ajeitou para finalizar forte de canhota. O goleiro Marcelo Grohe fez a primeira aparição, defendendo a conclusão do jogador.

Em cobrança de escanteio de Giménez, o volante Michel cabeceou contra e Marcelo Grohe teve que espalmar a bola para frente. Na sobra, Bruno Cortez afastou o perigo da área tricolor.

Aos 13 minutos de jogo, o Godoy Cruz-ARG abriu o placar. O atacante Javier Correa recebeu no meio de campo e com a bola quicando bateu de primeira, encobrindo o goleiro Marcelo Grohe, que estava adiantado.

O Grêmio foi para o ataque. Aos 16 minutos, Luan recebeu a bola na entrada da área e ajeitou o corpo para chutar. A bola rasteira explodiu na trave esquerda de ataque gremista. Um minuto depois, o time gaúcho chegou a balançar as redes, mas o lance foi anulado, pois o auxiliar já marcava o impedimento.

O empate gremista veio aos 28 minutos com Pedro Rocha. Após Luan fazer um cruzamento na primeira trave, o goleiro Burián falhou na defesa da bola que foi quicando para o gol. A redonda bateu no peito do arqueiro e sobrou para o atacante Lucas Barrios, que dominou e achou Pedro Rocha no meio da área. O camisa 32 do Grêmio completou para o fundo das redes deixando tudo igual na Arena.

Aos 39 minutos, os jogadores gremistas marcaram alto a saída de bola da equipe argentina e recuperou a bola. Quase na meia lua da grande área, Luan ajeitou o corpo e bateu colocado, mas o goleiro Burián defendeu com tranquilidade no alto.

Antes do encerramento da primeira etapa, o Grêmio ainda acertou o travessão com um chute do atacante Lucas Barrios, contudo o lance já estava sendo anulado pela arbitragem, pois o jogador estava em posição irregular.

SEGUNDO TEMPO
As duas equipes retornaram do vestiário para o gramado sem mudanças nos times que iniciaram a partida. A primeira finalização do segundo tempo foi do time visitante, Angileri carregou a bola pela esquerda de ataque e chutou cruzado, mas a finalização saiu pela linha de fundo, sem perigo.

Aos 4 minutos, Luan puxou contra-ataque rápido, tocou para Pedro Rocha, que invadiu a área e chutou cruzado para dentro da pequena área. O lateral Angileri tentou afastar e quase marcou contra, mas a bola passou por cima da meta.

O Godoy começou a pressionar mais o Grêmio, mas em um contra-ataque mortal, o Imortal marcou o segundo gol. No lance, o zagueiro Pedro Geromel se adiantou, recuperou a bola e iniciou o contra-golpe. No meio de campo, ele tocou para Luan seguir a jogada. O camisa 7 gremista carregou a redonda e encontrou Barrios entrando pela direita da área. O centroavante dominou e chutou cruzado, a bola explodiu na trave. No robete, Pedro Rocha apareceu para empurrar para o fundo das redes.

O terceiro gol quase veio aos 22 minutos. Após cobrança de lateral de Bruno Cortez, o centroavante Barrios ajeitou para Maicon chegar chutando. A bola passou perto da trave esquerda de defesa do time argentino.

Com a vantagem no placar, o Grêmio começou a administrar mais o resultado, tocando bastante a bola e sem se arriscar muito no ataque. Com o time gaúcho focado em na defesa, a equipe argentina não conseguia avançar e criar chances perigosas.

Ao apagar das luzes, o volante Michel fez falta na entrada da área e recebeu o segundo cartão amarelo, consequentemente foi expulso.

Nas quartas de finais, o Grêmio encara o vencedor do duelo entre Botafogo e Nacional-URU, que ocorre nesta quinta-feira, às 19h15 (de Brasília), no estádio Olímpico Nilton Santos.

FICHA TÉCNICA
GRÊMIO 2 X 1 GODOY CRUZ-ARG

Local: Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)
Data: 09 de agosto de 2017, domingo
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Enrique Cáceres (PAR)
Assistentes: Eduardo Cardozo (PAR) e Juan Zorrilla (PAR)
Cartões amarelos: Grêmio: Michel (x2), Maicon, Fernandinho. Godoy Cruz-ARG: Abecasis, Galeano, Henríquez, Olivares
Cartão vermelho: Grêmio: Michel
Público: 38.797 (36.204 pagantes)
Renda: R$ 1.543.736,00

GOLS
GRÊMIO: Pedro Rocha, aos 28 minutos do primeiro tempo; aos 13 minutos do segundo tempo
GODOY CRUZ-ARG: Javier Giménez, aos 13 minutos do primeiro tempo

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Léo Moura, Pedro Geromel, Walter Kannemann, Bruno Cortez; Maicon (Arthur), Michel, Ramiro (Fernandinho), Luan, Pedro Rocha (Marcelo Oliveira); Lucas Barrios
Técnico: Renato Portaluppi

GODOY CRUZ-ARG: Burián; Abecasis, Galeano, Olivares e Angileri; Rodríguez (Augustin Verdugo), Henríquez (Facundo Silva), Giménez e Garro (Ángel González); Correa e Morro Garcia.
Técnico: Maurício Larriera

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA