“Não é uma deficiência que vai te deixar para baixo. Depois que comecei no atletismo minha vida mudou muito. Eu sinto liberdade. Posso mostrar para as pessoas que sou capaz ainda. Essa é a sensação. A casa é um casulo da gente. A gente tem que sair e ir para a vida. Hoje sou mais feliz do que quando eu andava na verdade”, disse Gilson Rosa de Oliveira, 47 anos, atleta ACD (Atletas com Deficiência) da SBAtletismo/Secretaria de Esportes.Após ter “caído” como contou Gilson, ele superou os próprios limites em meio às dificuldades. O atleta procurou diversos meios para voltar andar e por último passou pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), onde uma junta médica deu o veredicto sobre sua lesão. Irreversível. “O médico disse para acostumar na cadeira que eu ia ficar para sempre nela. A partir do diagnóstico eu me aprimorei, me aperfeiçoei e prossegui com a minha vida. Dali em diante eu renasci”, comentou Rosa de Oliveira.

Gilson não parou, fez natação, competiu com Daniel de Faria Dias – atleta paralímpico brasileiro e recordista mundial – e fez do Esporte um combustível para sua vida. “O esporte me traz muitas coisas boas, companherismo, amizades, viagens e vivências. É maravilhoso participar por Santa Bárbara. Já tive oportunidade de competir por outras cidades, mas sempre quis ficar aqui. Defender minha cidade. Nos Jogos Regionais consegui três medalhas de ouro. Quero me dedicar o máximo agora para os Jogos Abertos”, complementou.O lugar de Gilson é o mesmo de José Nilton de Souza dos Santos, 34 anos, atleta ACD. É no alto. Do pódio e da vida. José Nilton treina no SB Atletismo há quatro meses e já sente as mudanças em sua rotina. “Se eu soubesse que Esporte era tão bom, eu tinha começado antes. Hoje estou muito mais disposto e feliz”, falou. “Eu era pedreiro, fui subir em um pé de abacate, cai e fraturei a coluna. O diagnóstico foi ser cadeirante para o resto da vida. Hoje o atletismo está me ajudando. Eu ficava amuado dentro de casa e depois que comecei a treinar estou bem melhor. Não esperava medalhas nos Jogos Regionais. Faturei uma medalha de prata e em São Paulo uma de prata e outra de bronze. Agora meu filho quer vir treinar comigo aqui”, enfatizou.

Treinos no CSU

Três vezes por semana, no CSU (Centro Social Urbano, os atletas recebem apoio dos técnicos do SB Atletismo, Carlos Alberto Sachetto e Leandra Piveta, que com todo profissionalismo e carinho auxiliam também Mary Gonçalves e Natanael Granuzzo, entre outros da equipe. “Meu primeiro título foi de campeã recordista brasileira no lançamento do dardo. Isso foi uma das coisas mais importantes da minha vida. Nunca me imaginei um dia chegar aqui graças ao meu empenho e a paciência dos treinadores”, disse Mary. “Eu amo o que faço, tenho até uma tatuagem inspirada no atletismo”, finalizou Granuzzo.

Faça como Gilson, José Nilton, Mary e Natanael. Treine com o SB Atletismo. Os treinos do SB Atletismo acontecem de segunda, quarta e sexta-feira, a partir das 15 horas, no Centro Social Urbano (Avenida de Cillo, 650, no Jardim Belo Horizonte). Mais informações podem ser obtidas na Secretaria Municipal de Esportes pelo telefone (19) 3455.1231.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA