Cruzeiro e Flamengo entraram em campo na noite desta quarta para decidir a Copa do Brasil no Mineirão. E a Raposa levantou a taça pela quinta vez, após uma dramática decisão por pênaltis. O clube de Minas se iguala ao Grêmio em número de títulos: cinco.

© REUTERS/Washington Alves

O jogo começou com o clube mineiro fechado e tentando buscar o contra-ataque. Logo no início, em um lance polêmico, Guerrero pediu pênalti, mas o juiz deixou seguir. Aos cinco minutos, Raniel, do Cruzeiro, caiu em campo e precisou ser substituído após ter um estiramento nas duas coxas. Arrascaeta entrou em seu lugar.

A partida seguiu e na jogada seguinte, Guerrero acertou a trave batendo falta. Aos 14 minutos, Thiago Neves devolveu a pressão e chutou por cima do gol de Muralha. Mas as jogadas perigosas acabaram por aí e o primeiro tempo terminou 0 a 0.

No segundo tempo, mais marasmo. Durante a primeira meia hora, pouquíssimas chances claras de gol. Mas aos 32 o goleiro muralha deu um susto na torcida do Flamengo. Ele, ao tentar socar uma bola cruzada na área, “espirrou o taco” e quase deu um passe para Arrascaeta, que não conseguiu aproveitar.

Aos 42, foi a vez de Guerrero. O craque peruano entrou na área, passou pela zaga e chutou para a defesa de Fábio. Mas acabou por aí. A partida foi para os pênaltis.

Pelo Cruzeiro:

Henrique marcou, Leo marcou, Hudson marcou, Diogo Barbosa marcou, Thiago Neves marcou

Pelo Flamengo:

Guerrero marcou, Juan marcou, Diego errou, Trauco marcou