A Seleção Brasileira não passou de um empate sem gols com a Bolívia, que contou com grande atuação do goleiro Lampe, nesta quinta-feira, na atitude de 3.640m de La Paz. Foi o penúltimo compromisso da equipe dirigida por Tite, já classificada para o Mundial da Rússia, nas Eliminatórias para a Copa do Mundo.Também com a melhor campanha das Eliminatórias assegurada, o Brasil alcançou os 38 pontos ganhos na tabela. A Bolívia, que não tem mais chances de ir à Copa do Mundo, subiu para somente 14, na penúltima posição.

Invicta em jogos oficiais sob o comando de Tite, a Seleção Brasileira acumulou o seu segundo empate consecutivo nas Eliminatórias – ficou no 1 a 1 com a Colômbia na rodada passada, em Barranquilla.

Na terça-feira, no Palestra Itália, o Brasil encerrará a sua campanha diante do Chile, que ainda almeja uma vaga no Mundial. A Bolívia enfrentará o Uruguai no mesmo dia, no Centenário de Montevidéu.

O jogo – Talvez sentindo os efeitos da altitude (ou se precavendo), a Seleção Brasileira começou a partida em ritmo bastante lento, com dificuldades para trocar passes no gramado seco do Hernando Siles. Avançava na maioria das vezes pelo lado direito do campo – onde havia sombra –, com Daniel Alves.

Quando a torcida da Bolívia já começava a se animar com uma e outra investidas da equipe da casa, o Brasil sofreu uma baixa. Thiago Silva acusou uma contusão aos 27 minutos e precisou ser substituído por Marquinhos.

Coincidentemente, a Seleção Brasileira se soltou a partir de então. Já com quase 70% de posse de bola, os comandados de Tite fizeram o goleiro Lampe trabalhar duas vezes seguidas, em finalizações de Neymar e Gabriel Jesus. “Lampe! Lampe! Lampe!”, vibrou o público boliviano.O goleiro teria ainda mais trabalho aos 42 minutos. Lançado por Paulinho, Neymar saiu diante de Lampe, que chegou a tocar na bola quando o atacante do Paris Saint-Germain esboçou o drible. O brasileiro conseguiu chutar, mas Valverde salvou a Bolívia de cabeça. Em nova tentativa, o mesmo zagueiro afastou com o pé.

Recuperados do susto, os bolivianos encontraram tempo para dar uma resposta à Seleção Brasileira antes do intervalo. Já nos acréscimos, Bejarano recebeu a bola de Marcelo Moreno e encheu o pé de fora da área. Acertou o travessão.

Logo no princípio do segundo tempo, para o qual a Bolívia retornou com Castro no lugar de Justiniano, o Brasil também contabilizou uma bola no poste. Foi em um desvio de Paulinho, com direito à noiva defesa de Lampe, após falta cobrada por Neymar.

Nos minutos subsequentes, Neymar continuou a ser a principal válvula de escape da Seleção Brasileira, travando o seu duelo particular com Lampe. Os outros homens de criação do time, no entanto, não acompanhavam o atacante. Tite escolheu um deles para sair. Trocou Philippe Coutinho por Willian.

A última aposta da Seleção foi Fernandinho, substituto de Paulinho, enquanto o treinador argentino Ángel Guillermo Hoyos desagradou ao público local ao sacar Arce para a entrada de Saucedo. A torcida boliviana, contudo, logo voltou as suas atenções a Lampe. O goleiro encerrou a sua grande atuação com uma bela defesa em cabeçada de Gabriel Jesus.

FICHA TÉCNICA
BOLÍVIA 0 X 0 BRASIL

Local: Estádio Hernando Siles, em La Paz (Bolívia)
Data: 5 de outubro de 2017, quinta-feira
Horário: 17 horas (de Brasília)
Árbitro: Fernando Rappalini (Argentina)
Assistentes: Diego Bonfá e Gabriel Chade (ambos da Argentina)
Cartão amarelo: Valverde (Bolívia)

BOLÍVIA: Lampe; Bejarano, Valverde, Raldes e Gutiérrez; Justiniano (Castro), Morales, Arce (Saucedo), Fierro (Álvarez) e Machado; Marcelo Moreno
Técnico: Ángel Guillermo Hoyos

BRASIL: Alisson; Daniel Alves, Thiago Silva (Marquinhos), Miranda e Alex Sandro; Casemiro, Paulinho (Fernandinho), Philippe Coutinho (Willian), Renato Augusto e Neymar; Gabriel Jesus
Técnico: Tite

ELIMINATÓRIAS: Chile respira e Peru segura a Argentina na Bombonera

Apenas dois dos cinco jogos da penúltima rodada tiveram gols e os resultados foram muito ruins para o time de Messi

Com gols em apenas dois dos cinco jogos, a 17ª e penúltima rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018 embolou ainda mais a disputa e complicou de vez a vida da Argentina.

Jogando na Bombonera, em Buenos Aires, o time de Messi não saiu do 0 a 0 com o Peru e os dois times seguem empatados, agora com 25 pontos. Com sete vitórias, uma a mais do que os argentinos, os peruanos ocupam a quinta posição.

Outro favorito que se complicou foi a Colômbia, que perdeu para o Paraguai de virada, por 2 a 1, em pleno Metropolitano de Barranquilla, e segue com 26 pontos, agora na quarta posição. O Paraguai, com 24 pontos, volta à disputa e busca uma vaga entre os seis primeiros na última rodada.

URUGUAI TRANQUILO E CHILE RESPIRANDO
Nem todos os favoritos tropeçaram. O Chile, que vivia situação complicada, respirou com vitória em casa por 2 a 1 sobre o Equador, eliminando as chances de classificação do adversário. Com 26 pontos, os atuais bicampeões da Copa América estão na terceira posição, mas terão o Brasil pela frente na última rodada, no Allianz Parque, em São Paulo.

Outra equipe que tem a classificação bem encaminhada é o Uruguai, que ficou o empate sem gols com a Venezuela, fora de casa, e chegou a 28 pontos, na segunda posição. A Seleção Vinho Tinto, com nove, está na lanterna.

O único jogo que não influenciava na disputa por vagas na Copa do Mundo foi o empate sem gols entre Bolívia e Brasil, na altitude de La Paz. A seleção de Tite já está classificada com a liderança garantida com 38 pontos, e os bolivianos, em nono com 14 pontos, não têm chance de classificação.