A Volkswagen prometeu parar de fazer testes em animais para medir os efeitos da fumaça de seus veículos. A medida foi divulgada essa semana em uma carta da empresa ao braço alemão da ONG Peta, que atua na defesa dos direitos dos animais. As informações são do New York Times.

Volkswagen (Damir Sagol/Reuters)

A decisão é mais um capítulo da busca da montadora para refazer sua imagem após os escândalos envolvendo a companhia.

Em 2015, veio à tona um esquema de fraude na emissão de poluentes dos carros a diesel produzidos pela Volks. Resumindo: a Volkswagen instalou nos veículos a diesel um dispositivo que fraudava os testes de emissão de poluentes. Isso fazia com que os testes mostrassem uma emissão muito menor do que a real.

A montadora chegou a ser multada em 26 bilhões de dólares nos Estados Unidos pela prática, que, segundo a própria Volkswagen, aconteceu em mais de 11 milhões de carros pelo mundo.

Depois que o escândalo veio à tona, a companhia e outras montadoras financiaram testes com macacos, na tentativa de medir os efeitos da fumaça do diesel sobre a saúde. Os animais foram colocados em câmaras que recebiam a fumaça de carros a diesel. As notícias sobre o estudo com animais ajudaram a manchar ainda mais a imagem da companhia.

Na carta endereçada ao PETA, o CEO da Volkswagen, Herbert Diess, afirma: “Projetos de pesquisa e estudos devem sempre ser balanceados com considerações éticas e morais. A Volkswagen explicitamente se distancia de todas as formas de abusos de animais. No futuro, excluiremos todos os testes em animais, contanto que não haja motivos prementes, como legais, que tornem isso necessário”.

Diess diz ainda que a empresa vai adicionar a nova diretriz este ano aos seus padões de conduta, e que ela será válida para todas as 12 marcas da empresa e seus 640 mil funcionários.