Prefeito diz que Campinas será laboratório vivo, com situações do cotidiano

Com a assinatura do prefeito Jonas Donizette, Campinas oficializou nesta quinta-feira, 15 de março, em São Paulo, um Memorando de Entendimento entre a Prefeitura, o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD) e a chinesa Huawei para colaboração em pesquisa e experimentação de soluções de tecnologia da informação e comunicação (TIC) aplicadas à segurança pública.O projeto-piloto de inovação será desenvolvido em conjunto com a Secretaria Municipal de Cooperação nos Assuntos de Segurança Pública, por meio da Central Integrada de Monitoramento de Campinas (Cimcamp) e da Informática de Municípios Associadas (IMA). A Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Social e Turismo de Campinas participou da negociação da parceria.

Pelo Memorando, Campinas disponibilizará o ambiente urbano para abrigar o projeto de pesquisa. A escolha da cidade é decorrente do porte e importância econômica, dentro do conceito ‘living lab’ (laboratório vivo) para soluções avançadas de segurança pública (Safe City). O objetivo é ampliar a capacidade de monitoramento por meio de câmeras e sistemas inteligentes. Inicialmente, pelo menos 30 câmeras inteligentes serão disponibilizadas pela Huawei e integradas à Cimcamp. A IMA e o CPqD vão customizar o sistema oferecido pela empresa para adaptá-lo às necessidades de Campinas.

“Nós vamos ter a Huawei nos ajudando com sua experiência já aplicada em outras cidades em escala internacional. Nós já temos um programa, o Campinas Bem Segura, com câmeras inteligentes, e ela vai nos ajudar oferecendo uma quantidade maior de equipamentos e também a sua experiência e tecnologia na área de segurança. A parceria vai permitir a customização daquilo que Campinas precisa, com a Secretaria de Segurança indicando os locais de maior vulnerabilidade. É um laboratório vivo porque nós estaremos na prática, no dia a dia. Não serão exemplos fictícios, são aflições que as pessoas vivem em suas rotinas”, avaliou o prefeito ao falar durante a cerimônia.

Cidades inteligentes

A assinatura do Memorando fez parte da programação do “Huawei Latin America Innovation Day”. O evento reuniu líderes da indústria, acadêmicos e analistas para debater o futuro da digitalização na América Latina, tecnologias emergentes, internet 5G e das coisas, computação na nuvem e inteligência artificial. Com portfólio completo de TIC, a Huawei trabalha com gestores públicos no projeto, na implementação e na operação de tecnologias de cidades seguras. Atualmente, as soluções de Smart City da Huawei atendem mais de 120 cidades em mais de 40 países.

O Memorando de Entendimento do projeto de Campinas foi assinado pelo prefeito Jonas Donizette; o CEO da Huawei no Brasil, Yao Wei; o presidente do CPqD, Sebastião Sahão Júnior; a cônsul da China em São Paulo, Chen Peijie; e o secretário de Telecomunicações do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, André Müller Borges.

“Estamos muito felizes em participar deste projeto com o CPqD e a Prefeitura de Campinas, que se mostra na vanguarda da inovação entre os municípios brasileiros. Com a experiência acumulada em projetos de inovação em mais de 170 países, a Huawei entende que a segurança pública é uma prerrogativa para a criação de novos projetos de cidades inteligentes. Ao adotar soluções inovadoras de conectividade, colaboração e computação em nuvem, os gestores municipais e as forças de segurança se tornam mais eficientes em prevenir e solucionar crimes, garantir o bem-estar da população e permitir o surgimento de novos serviços públicos digitais”, destacou o líder da empresa no Brasil, Yao Wei.

O cronograma de instalação das câmeras e os locais serão definidos pela Secretaria de Cooperação nos Assuntos de Segurança Pública. O projeto está previsto para funcionar, inicialmente, por um ano. Após esse período, serão analisados os resultados. “Ficamos muito honrados pelo convite realizado pelo CPqD e pela Huawei para que a cidade se transformasse em um laboratório vivo para a implementação de tecnologias avançadas. A segurança dos cidadãos, o empreendedorismo e a inovação tecnológica são temas fundamentais para a administração pública. E estou confiante que este projeto traga resultados positivos não só para a segurança, mas também para o bem-estar dos munícipes e para o estímulo às novas soluções de cidades inteligentes que poderemos adotar no futuro”, declarou Jonas.

Como presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), Jonas acredita que o projeto possa ser replicado. “Meu primeiro compromisso, como prefeito, é o apoio total a esse projeto. E o segundo, como presidente da Frente, é fazer com que isso ganhe escala. Aquilo que der certo em Campinas vamos aplicar em outras grandes cidades, em outras regiões do País”, garantiu.