A poucos dias do início da Copa do Mundo de 2018, a atual campeã Alemanha renovou suas armas pra buscar um novo título. Ainda com o 7×1 sobre o Brasil e a vitória por 1×0 sobre a Argentina na final frescos na memória, a seleção germânica tem, na busca de seu pentacampeonato, não só um elenco de atletas ainda forte, mas também o apoio tecnológico provavelmente mais avançado que o de qualquer outra seleção do mundial.

MARIO GOETZE COMEMORA O PRIMEIRO GOL DA ALEMANHA DURANTE FINAL DA COPA DO MUNDO FIFA DE 2014 ENTRE A ALEMANHA E A ARGENTINA, NO MARACANÃ (FOTO: GETTYIMAGES)

A federação alemã mantém uma parceria já de longa data com a SAP, gigante de tecnologia do país, que mostrou parte desse trabalho durante o Foot&Tech, evento realizado pelo InovraBra, estação de coworking do Bradesco, para mostrar iniciativas que unem futebol e inovação. Com uma série de soluções, que fazem desde o estudo de cobranças de pênalti até a avaliação completa da movimentação de jogadores durante treinos e jogos, o pacote da SAP dá à comissão técnica liderada pelo técnico Joachim Low acesso a um aparto tecnológico.

A estrela do time de inovações é o Match Insights, um software que trabalha principalmente via captação de imagens e é utilizado pela seleção alemã desde a Copa de 2014. O sistema capta a movimentação dos jogadores, traça linhas entre eles, grava o histórico da área percorrida no campo e permite entender com maior facilidade, por exemplo, em que situação um lateral deixa muito espaço em suas costas ao subir para o ataque.

O programa conta também com um sistema de mensagens instantâneas e uma central de mídia que fica na nuvem, permitindo que jogadores e comissão técnica interajam. “Se o técnico teve uma ideia com base numa movimentação do zagueiro, pode mandar pra ele um rápido vídeo mostrando o que fazer quando estiver de frente quando o Cristiano Ronaldo estiver na frente dele”, diz Mateus Grings, um dos engenheiros da SAP Latin America Labs que fizeram a apresentação no Foot&Tech.

Pacote renovado
O Match Insights marcou o início da parceria entre SAP e DFB (a federação alemã de futebol), e seu sucesso motivou a expansão da iniciativa. Desde a Eurocopa de 2016, a seleção conta também com o Penalty Insights, feito especificamente para compreender o padrão de cobrança de penalidade de cada jogador – o programa conta com o registro histórico de todos os pênaltis batidos por Messi ou Neymar em toda a carreira, por exemplo.

Já o Challenger Insights, também adicionado mais recentemente, consolida características técnicas e táticas dos adversários. Assim, se a Alemanha enfrentar o Brasil novamente, poderá checar no mesmo ambiente virtual como atuam os nossos jogadores, suas principais jogadas, e conferir vídeos específicos para cada um deles.

E, para cuidar do desenvolvimento de seus próprios jogadores, o Performance Insights e o Player Fitness oferecem uma rica base de dados individuais. Enquanto o primeiro grava as informações técnicas do desempenho dos jogadores ao longo das partidas, o segundo cuida de sua parte física, medindo nível de fadiga, tratamentos utilizados e histórico de lesões, e é utilizado pela equipe médica. “Normalmente, quando um médico sai de uma equipe, todo o histórico é perdido. Com esse programa, as informações ficam em poder da administração”, explica Grings.

Disponível no mercado
O investimento da SAP em soluções esportivas foi iniciado sob confidencialidade com a seleção alemã. Com o tempo e o sucesso, entretanto, a empresa logo pôde se aproveitar comercialmente de sua base de conhecimentos, e hoje congrega todos os softwares citados (e mais alguns) sob o nome SAP Sports One.

Há ferramentas específicas para clubes, como a de gerenciamento de scout (prospecção de jogadores), para identificar atletas no mercado que possam ser contratados e suprir carências do time. E também foram desenvolvidos programas específicos para outros esportes, como futebol americano, tênis, golfe e até hipismo.

Segundo os representantes da SAP, houve conversas com a CBF para a adoção de algumas das tecnologias da empresa pela seleção brasileira, mas o time canarinho preferiu utilizar uma opção de concorrentes.

Resta esperar que o aparato brasileiro seja completo como o alemão.