Assistentes robóticos em naves espaciais já são um elemento rotineiro das ficções-científicas do cinema, mas talvez ninguém esperasse que um deles iria surgir tão cedo na vida dos tripulantes da Estação Espacial Internacional (ISS) para ajudar em suas tarefas diárias. Pois esta é a exata função do CIMON, uma verdadeira bola branca tecnológica desenvolvida para o auxílio na manutenção do gigante laboratório das estrelas. O detalhe mais bizarro, porém, é que o robô vem com um display na sua face frontal que mostra uma cara eternamente sorridente a quem quer que esteja trabalhando com ele.

Criado numa colaboração entre a Airbus e a IBM e acrônimo de “Crew Interactive Mobile Companion” (algo como Companhia Móvel Interativa da Equipe), CIMON funcionará à partir de um software de inteligência artificial e pesa em torno de cinco quilos. Ele também conta com uma voz especial desenhada pelo departamento de IA da própria IBM.

A função maior desta bola branca autônoma será a de ajudar os astronautas em uma missão a ser realizada entre junho e outubro deste ano na estação, participando em diversos experimentos com cristais e também de uma cirurgia médica onde servirá de câmera interativa aos cientistas. Além disso, o robô irá tentar resolver um cubo mágico gigante sozinho e aprenderá a ser mais útil aos tripulantes da ISS, processando e disponibilizando dados de diferentes diagnósticos na tela onde seu simpático rosto fica alojado.

A longo prazo, a proposta da Airbus com o CIMON é de empregá-lo num estudo mais amplo das dinâmicas sociais da equipe à bordo, que serão realizadas em grandes viagens pelo espaço no futuro. Construído e elaborado por uma equipe de cinquenta cientistas nos últimos dois anos, o simpático robô vem sendo treinado pelo astronauta alemão Alexander Gerst para se adaptar às condições do espaço, além de já ganhar familiaridade com o cientista através de fotos e amostras de voz suas.