Em um dia marcado por instabilidades políticas no Brasil e pelo acirramento das tensões comerciais entre Estados Unidos e China, a moeda norte-americana voltou a subir e fechou no maior nível em 11 meses.

x-default

A divisa operou em alta durante toda a sessão, fechando a semana com valorização de 2,1%. No mercado de ações, o dia também foi de instabilidade. Depois de subir mais de 1% ontem, o índice Ibovespa, da Bolsa de Valores de São Paulo, fechou a sexta-feira com queda de 0,46%, aos 84.420 pontos. O Ibovespa encerrou a semana com queda de 0,64%.

[metaslider id=270]

No plano doméstico, o dia foi de tensões por causa do prazo para o cumprimento da ordem de prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, decretada ontem (5) pelo juiz Sergio Moro. O prazo dado pelo magistrado para ele entregar-se à Polícia Federal acabou às 17h, sem que o ex-presidente tenha se apresentado.

No exterior, a escalada dos conflitos comerciais entre Estados Unidos e China também influenciou o mercado. Ontem (5), o governo do presidente Donald Trump anunciou a intenção de sobretaxar mercadorias chinesas em US$ 100 bilhões, valor que se somaria à imposição de tarifas de US$ 50 bilhões anunciadas no início da semana. O Ministério do Comércio da China informou que o país asiático continuará empenhado em defender seus interesses e poderá impor retaliações adicionais aos bens norte-americanos.