A italiana Enel venceu a Neoenergia na oferta pública para aquisição de ações (OPA) da Eletropaulo, em uma operação avaliada em cerca de R$ 7,6 bilhões pela compra da maior distribuidora de energia do Brasil em faturamento.

HOMEM PASSA DIANTE DO LOGO DA COMPANHIA DE ENERGIA ITALIANA ENEL (FOTO: TONY GENTILE/REUTERS)

A Enel ofereceu R$ 45,22 por ação, contra o valor de R$ 32,20 apresentado anteriormente. Já a Neoenergia, da espanhola Iberdrola, ofereceu R$ 39,53 por ação, ante o valor inicialmente divulgado de R$ 32,10.

Dessa maneira, no leilão marcado para a próxima segunda-feira (4), apenas a oferta da Enel será registrada. A proposta precisará ser aceita pelos acionistas da companhia na Bolsa de Valores (B3).

A briga pela compra da Eletropaulo, que leva energia a São Paulo e a outras 23 cidades da região metropolitana, foi acirrada.

Desde que as ofertas pela empresa começaram em março, o valor de mercado da companhia aumentou de cerca de R$ 3 bilhões para R$ 5,5 bilhões.

Atualmente, a maior parte dos papeis da Eletropaulo (49,58%) está na mão de pequenos investidores. Seus maiores acionistas individuais são o braço de participações do Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDESPar) e o grupo AED, com 18,73% e 16,84%, respectivamente. A União Federal é dona de outros 7,97%, investidores qualificados têm outros 5,05% e 1,83% estão na tesouraria da empresa.

“Graças à aquisição da Eletropaulo, a Enel aumentará a já ampla base de clientes no Brasil e se tornará o primeiro operador do país, acelerando a trajetória de crescimento nas maiores regiões metropolitanas do mundo”, disse a companhia italiana, em um comunicado.