O prefeito Angelo Perugini esteve na cidade de Santos, nesta quarta-feira (04/04), para receber o Prêmio Excelência no atendimento de água e esgoto, concedido pela ABES (Associação Brasileira de Engenharia Sanitária). A premiação foi entregue durante o 62º Congresso Paulista de Municípios aos municípios e operadores com os melhores indicadores em água e esgoto. Hortolândia conta com 100% de água encanada, e a cobertura da rede de coleta de esgoto atinge 95%. A cobertura de esgoto em Hortolândia está acima da média nacional, que é de 50,26%. A cidade é a 8ª em percentual entre os 21 municípios da RMC (Região Metropolitana de Campinas), conforme dados do SNIS (Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento). As obras que garantirão a universalização do serviço avançam e a previsão é que até 2020 todo o esgoto da cidade seja coletado e tratado.

Mas nem sempre foi assim. As obras de esgoto ganharam novo ritmo a partir de 2005, com a parceria entre a Prefeitura e a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo). A participação popular também teve papel fundamental na conquista de saneamento básico. Quem mora há mais de 14 anos na cidade, ainda tem na memória os longos períodos de falta d’água, e as dificuldades enfrentadas no dia a dia em razão deste problema. Além disso, o esgoto corria a céu aberto nas ruas de terra, causando mau cheiro e trazendo doenças.

[metaslider id=270]

Em 2005, quando Perugini assumiu o governo municipal, Hortolândia tinha 81% de rede de água encanada. Diversos bairros ficavam mais de três dias sem abastecimento, por falhas na manutenção. Já a rede de esgoto estava com 2% de coletores implantados; nenhum detrito era tratado. A Prefeitura passou, então, a fiscalizar os serviços da Sabesp, trabalhando em parceria com a concessionária, e a cobrar o cumprimento de prazos, além de agilizar autorizações e licenciamentos que eventualmente eram necessários. As obras foram aceleradas.

“Lutamos por esgoto como uma das prioridades para nossa população. Contamos com a participação popular, que sempre foi muito ativa na busca por este objetivo. Com isso, conseguimos trabalhar em parceria com a Sabesp, num serviço alinhado, cobrando cumprimento de prazos e ajudando no que fosse possível para acelerar as obras e ampliar cada vez mais a cobertura da rede”, relembra Perugini. “Esta é uma conquista que melhorou a qualidade de vida de todos os hortolandenses”, avalia o prefeito.

Atualmente, a Sabesp trabalha na implantação da rede coletora em vielas sanitárias nos bairros Orestes Ôngaro e Parque do Horto. São locais onde a topografia dos terrenos impede a coleta dos resíduos pela rede que passa na rua. Estes serviços serão concluídos ainda neste ano.

Além de manter índices positivos do atendimento com serviços de esgoto, Hortolândia está à frente da maioria dos municípios brasileiros no planejamento e cumprimento de exigências relacionadas a saneamento básico. O Plansab (Plano Nacional de Saneamento Básico) é a legislação nacional que determina estas metas, entre elas, a oferta de rede de coleta e tratamento de esgoto até 2033, em todo território nacional. “Muito antes deste prazo, teremos o serviço universalizado na nossa cidade”, comemora Perugini.

Histórico – Esgoto em Hortolândia

•Década de 80: organização de movimentos populares em prol do esgoto

•1997: a Sabesp assume os serviços de água e esgoto na cidade. No contrato de concessão é previsto o prazo de dois anos para oferecer coleta e tratamento de esgoto.

•2003: a Sabesp inicia as obras da ETE, paralisadas depois por questões jurídicas envolvendo a concessionária e a empreiteira contratada para realizar a obra.

•2005: o prefeito Angelo Perugini assume a Prefeitura e inicia o trabalho de parceria com a Sabesp, para agilizar as obras de esgoto.

•2006: a população vai às ruas reivindicar à Sabesp esgoto coletado e tratado. No mesmo ano, a Sabesp retoma as obras de rede coletora de esgoto e libera as primeiras ligações de residências a rede coletora de esgoto.

•2007: a Prefeitura cria a Comissão de Acompanhamento de Obras de Esgoto, composta por representantes da sociedade civil. No mesmo ano, a Sabesp retoma as obras da ETE (Estação de Tratamento de Esgoto).

•2009: a ETE é inaugurada e, quatro meses depois, já tratava 30% do esgoto do município.

•2012: no segundo governo do prefeito Perugini, 72% da cidade tinha cobertura com rede coletora.

•2018: Hortolândia apresenta 95% de atendimento total de esgoto e recebe prêmio da ABES (Associação Brasileira de Engenharia Sanitária).