A coleta seletiva, porta a porta, já é realidade em Hortolândia. O projeto-piloto de prestação do serviço, que oferece mais praticidade e comodidade à população quanto ao descarte de recicláveis, foi implantado, nesta quarta-feira (21), após cerimônia na praça Vereador José Costa Camargo, no Parque Ortolândia. O evento contou com a presença do prefeito Angelo Perugini, de secretários municipais, vereadores e entidades parceiras, como a Cooperativa Águia de Ouro, o Consimares (Consórcio Intermunicipal de Manejo de Resíduos Sólidos) e a empresa Horto Ambiental. Inicialmente, o serviço será disponibilizado toda quarta-feira, a partir das 8h, no Parque Ortolândia e no Jd. Firenze. A meta da Administração é atender toda a cidade, gradativamente.

Além de iniciar a coleta de recicláveis porta a porta, a Prefeitura implantou, nos dois bairros, dois novos LEVs (Locais de Entrega voluntária), equipamentos onde os moradores também podem descartar, de maneira ambientalmente correta, papel, vidro, plástico e metal, nos demais dias da semana. Até a próxima segunda-feira (26/03), outros sete novos dispositivos serão disponibilizados à população: um no Jd. Amanda, um no Remanso Campineiro, um no Jd. Mirante, um no Jd. Novo Ângulo, um na Vila real, um no Jd. Santa Esmeralda e um no Jd. Nossa Senhora de Fátima.

Em sua fala de lançamento do projeto, o prefeito Angelo Perugini ressaltou como objetivo principal da iniciativa promover uma grande mudança de hábitos na cidade. A proposta é que cada morador se torne um educador ambiental. “Em Hortolândia, colocamos como prioridade a educação ambiental dos moradores. Queremos dar o mesmo passo que algumas cidades grandes deram e fazer deste serviço de coleta seletiva o motor de promoção da cidadania. Ser cidadão é cuidar com respeito das coisas que são suas e da coletividade. O primeiro passo é levar as pessoas a separar o lixo. Mas nosso objetivo é educar a população, levar o gesto de cidadania, porque cidadão é aquele que é capaz de doar. As pessoas ainda não entenderam que a praça pública não é da Prefeitura, é do cidadão. A falta de compromisso é uma doença instalada não só aqui, mas em toda a região. A cidade não é ambiente de estranhamento. Precisa ter uma cultura de amizade, cooperação, limpeza e organização dos ambientes. Cidade feliz não é a que constrói viadutos, pontes, mas a que cuida bem da sua gente”, ressaltou Perugini.

Embora vinculado à Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, o projeto-piloto de coleta seletiva porta a porta é uma ação de governo, vinculada à Agende Verde, e, como tal, mobiliza esforços de várias secretarias municipais e instituições parceiras, destacou o secretário da pasta, José Nazareno Zezé Gomes.

Para Fábio Orsi, representante do Consimares, Hortolândia é modelo na área ambiental. “É uma cidade referência, com uma administração séria, que sempre quer o melhor para os cidadãos. Parabenizo a Prefeitura e a Secretaria de Meio Ambiente por mais esta iniciativa”, afirma.

Outro ponto importante destacado por Perugini e pelo secretário Zezé Gomes é a importância de o munícipe higienizar os materiais e reduzir o volume das embalagens, antes de ensacá-las para descarte. “Este material não pode estar contaminado, nem com mau cheiro, senão não poderá ser reaproveitado pela Cooperativa”, ressaltaram.

Para mobilizar a todos, a Prefeitura tem realizado palestras e criou uma Comissão com membros do poder público, de entidades parceiras e da comunidade local. As ações de educação ambiental procuram mostrar como é importante separar o material reaproveitável do resíduo orgânico e que a coleta seletiva, na modalidade domiciliar, representará mais facilidade e comodidade às pessoas.

Saiba como aderir à coleta seletiva

Empresas, escolas, igrejas e outros grupos interessados em receber palestra gratuita sobre o tema podem agendar visita da equipe de Educação Ambiental da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável pelo telefone 3845-1149, das 8h às 12h e das 13h às 17h, de segunda a sexta-feira.

Para colaborar com a coleta seletiva porta a porta é muito simples. Na hora de descartar o lixo, o morador deve separar tudo o que pode ser reaproveitado como papel, vidro, plástico e metal. O material reciclável deve ser colocado em um mesmo saco ou recipiente para ser recolhido pelo caminhão da coleta seletiva, que passará na porta da casa do morador, toda quarta-feira, a partir das 8h.

“Ao separar os materiais, o munícipe reduz o volume de lixo enviado ao aterro sanitário, trazendo economia aos cofres públicos. Ao economizar, o município aumenta o investimento em áreas primordiais para o desenvolvimento, como saúde e educação. A coleta seletiva protege o meio ambiente e prolonga a vida dos aterros sanitários, gerando emprego e renda a recicladores. Essas ações fortalecem a Cooperativa de Reciclagem da cidade, e torna o município mais saudável para todos”, afirma a secretária-adjunta de Meio Ambiente, Eliane Nascimento.

Agenda Verde

A coleta seletiva porta a porta é uma ação do Programa Agenda Verde, criado para envolver a população na tarefa de fazer o descarte correto de lixo e manter a cidade limpa. Além das palestras de conscientização ambiental e do plantio de árvores, a Agenda Verde recolheu desde sua implantação, em março do ano passado, aproximadamente 12 mil toneladas de lixo e entulho descartados irregularmente pelas ruas de Hortolândia.

“A cidade ganha em todos os aspectos com a implantação deste projeto. Separar materiais recicláveis e dar a destinação correta a eles é uma ação de cidadania. Ao cuidarmos do nosso meio ambiente, tornamos a cidade mais saudável e com mais recursos para investimentos em outras áreas”, observa o Secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, José Nazareno Zezé Gomes.

A coleta seletiva já existe em Hortolândia, por meio de equipamentos públicos e gratuitos, como os PEVs (Pontos de Entrega Voluntária de Entulho e outros materiais recicláveis) e dos LEVs (Locais de Entrega voluntária). Esta nova versão, porta a porta, começa de forma simples, de modo a facilitar a triagem entre resíduos orgânicos e recicláveis por parte do morador.