As prefeituras de Sumaré e Campinas estão unindo esforços no combate ao descarte irregular de resíduos que acontece em bairros limítrofes das duas cidades. Nesta sexta-feira, dia 23, colaboradores das secretarias de Meio Ambiente e de Serviços Públicos dos dois municípios se reuniram na região do Matão para vistoriar alguns pontos e discutir ações conjuntas de fiscalização e de educação ambiental com as comunidades.“O descarte irregular de resíduos é um problema grave, tanto do ponto de vista ambiental, como de saúde pública e também administrativo. Em Sumaré, gastamos em média R$ 150 por tonelada de entulho retirada das áreas públicas, ruas e calçadas. De 2017 até agora, já foram mais de 80 mil toneladas recolhidas, ou seja, um gasto de mais de R$ 12 milhões – dinheiro este que poderia ter sido investido em Saúde, Educação, Segurança. O combate a este crime se faz com conscientização e fiscalização. Essa parceria com os Municípios vizinhos vem somar esforços para a intensificação dessas ações”, explicou o prefeito Luiz Dalben.

Pela Prefeitura de Sumaré, participaram da reunião de hoje o gerente da Secretaria de Meio Ambiente, Dario Oliveira, e o administrador regional do Matão, Ednaldo Messias. Da Prefeitura de Campinas, estiveram presentes a engenheira Tamires Prudente Borges, coordenadora de tratamento de resíduos, e o administrador da Regional 4 daquela cidade, Antonio Donizete Baptista da Silva.

Segundo a equipe, além da pequena parcela de moradores que atravessa a rua para jogar seus resíduos irregularmente, também se tem conhecimento de que há prestadores de serviço cometendo a infração, principalmente no período noturno. “Por isso, vamos intensificar as fiscalizações também nesses horários”, explicou o secretário municipal de Meio Ambiente e vice-prefeito, Henrique Stein.

Junto aos moradores, as prefeituras vão trabalhar com a conscientização ambiental e também orientar com relação à importância das denúncias, para que os infratores sejam identificados e responsabilizados.