Comércio usa última semana do ano de 2020 para atrair clientes

O consumidor aproveita esta semana para trocar presentes

Devido às novas restrições impostas pelo Governo do Estado, através do Plano São Paulo, adotado em função da pandemia, o comércio volta para a fase amarela nesta última semana do ano de 2020 e nos dias 01, 02 e 03 de janeiro volta de novo para a fase vermelha onde só os essenciais podem estar abertos.

Passado o Natal, o momento é de trocar presentes para quem precisa ajustar o tamanho do calçado, prefere uma outra cor de camiseta, ou não gostou muito do modelo de bolsa que ganhou.

Embora o Código de Defesa do Consumidor assegure a troca de maneira obrigatória somente quando existe algum defeito, a maioria das lojas faz a substituição quando o tamanho não é adequado ou a pessoa que recebeu o presente não gostou da cor ou do modelo, por gentileza.

Muitos comerciantes consideram a troca necessária para fidelizar o cliente e até gerar mais consumo, já que no momento em que a pessoa está na loja para a realização da troca, abre espaço para novas vendas. Mas daí o que vale é a política de troca adotada por cada estabelecimento.

Algumas lojas não aceitam trocas de peças da cor branca ou de roupas íntimas, por exemplo. Outras até aceitam a troca, mas determinam um prazo limite e algumas condições para a substituição ou devolução de mercadorias. Algumas lojas, inclusive, entregam na hora da compra uma espécie de cartão com orientações sobre a forma e os termos de troca.

Em todo caso, alguns cuidados são importantes para evitar problemas e facilitar a troca, tais como manter a etiqueta da loja na peça, no caso de roupas, calçados ou acessórios; se certificar de que o produto esteja nas mesmas condições em que saiu da loja no momento da venda; e apresentar o cupom de troca ou a nota fiscal da compra no ato da troca.

Prazo parta troca

No caso de defeitos aparentes no produto, o prazo para a troca ou reparo é de 30 dias para artigos não duráveis; e de 90 dias para os duráveis. Se o problema não for resolvido neste prazo o consumidor pode exigir a substituição do produto por outro equivalente, a restituição da quantia paga ou o abatimento proporcional do preço.

Se o produto for essencial, caso de geladeira ou fogão, por exemplo, não é preciso aguardar o prazo de 30 dias para conserto, o consumidor pode solicitar de imediato a troca do item ou pedir a devolução do dinheiro ou o abatimento do preço.

Para os demais casos, como tamanho de roupa e calçado incorreto ou cor e modelo que não agradou, passa a valer como regra a política de trocas definida pela loja que praticou a venda. Geralmente, o prazo oferecido para a realização da troca do produto é de 7 dias após a compra, mas algumas lojas ampliam este prazo para até 30 dias.

Horário de funcionamento

Devido às novas restrições impostas pelo Governo do Estado, através do Plano São Paulo, adotado em função da pandemia, o comércio de rua do centro e dos bairros de 28 a 30 de dezembro, terá horário de funcionamento das 09h às 18 horas. No dia 31, véspera do Réveillon, o expediente será das 09h às 14h.

Já nos dias 01, 02 e 03 de janeiro, o comércio ficará fechado, com funcionamento apenas de delivery, drive-thru e serviços essenciais.

Campanha “Natal da Família” da Acisb

Neste final de ano, os consumidores que fizerem suas compras nas lojas participantes da campanha e preencherem o cupom corretamente, terão a chance de levar para casa uma moto Honda CG160 zero quilômetro, 10 valecompras de R$ 250,00 (cada), 5 bicicletas aro 26 e 2 viagens para Natal e Porto Segura com acompanhante.

A campanha segue até o dia 8 de janeiro. O sorteio será realizado no dia 9 de janeiro, na sede da Acisb a partir das 11h30.

Fonte: A de I/Acisb.

%d blogueiros gostam disto: