Governo de SP vê melhora nos números da pandemia e estuda tirar fase vermelha aos finais de semana

Governador João Doria anunciou também que a China liberou a exportação de mais 5,6 mil litros de insumo para produção da CoronaVac, que vão chegar até o dia 10 de fevereiro

O governo do Estado de São Paulo anunciou, nesta segunda-feira, 1º, que deve rever as medidas complementares de restrição do Plano São Paulo já na quarta-feira, 3. De acordo com o governador, João Doria, e o secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, o que foi adotado até então permitiu que a evolução da pandemia fosse controlada no Estado. Com isso, o número de internações caiu 4% há duas semanas e mais 8% nesta última semana. O número de óbitos tinha caído 3% há 15 dias e se manteve estável nos últimos sete dias.

Entende-se por medidas complementares a adoção da Fase 1 – Vermelha de segunda à sexta-feira das 20h às 6h e durante todo o dia aos finais de semana. Os secretários Marco Vinholi, do Desenvolvimento Regional, e Patrícia Ellen, do Desenvolvimento Econômico, parabenizaram os prefeitos do Estado que respeitaram o momento da pandemia e seguiram as orientações sanitárias do Plano São Paulo. O Estado de São Paulo tem hoje 1.779.722 casos de Covid-19 e 53.090 óbitos pela doença. A taxa de ocupação dos leitos de UTI está em 68,5% no Estado e em 67,9% na Grande São Paulo. Entre os internados, 5.872 estão em UTI e 6.884 em enfermaria — entre casos confirmados e suspeitos.

Durante a coletiva, Doria recebeu uma mensagem avisando que o governo da China liberou a exportação de 5,6 mil litros de insumo para a CoronaVac. A matéria-prima deve chegar até o dia 10 de fevereiro e rende 8,7 milhões de doses. Também na próxima quarta-feira, 3, os primeiros 5,4 mil litros de IFA vão desembarcar em Campinas, no Aeroporto de Viracopos. Juntos, o montante rende 17,3 milhões de novas doses produzidas no Instituto Butantan. Elas vão ser disponibilizadas entre 25 de fevereiro e a primeira quinzena de março.

Volta às aulas seguras

O governo estadual anunciou também a criação de uma comissão médica para orientar a volta às aulas presenciais no Estado, prevista para a próxima segunda-feira, dia 8 de fevereiro. O grupo, formado por especialistas com destaque em pediatria e infectologia, vai garantir um suporte técnico e científico para que o retorno das escolas seja responsável e seguro na rede estadual de educação. Os profissionais vão trabalhar em conjunto com o Centro de Contingência da Covid-19, criado há quase um ano.

Vão compor o grupo: Luciana Becker, infecto-pediatra do Hospital Albert Einstein; Marco Aurélio Sáfadi, pediatra e infectologista do Departamento de Imunizações da Sociedade Brasileira de Pediatria; Wanderson Oliveira, doutor em epidemiologia e secretário de Serviços Integrados de Saúde do Supremo Tribunal Federal (STF); José Medina, diretor do Hospital do Rim e membro do Centro de Contingência; e Helena Sato, pediatra e coordenadora do Plano de Imunizações da Secretaria Estadual de Saúde. Eles serão responsáveis por monitorar e orientar as ações de prevenção, vigilância e controle da pandemia nas escolas.

Fonte: Governo do Estado de São Paulo.

%d blogueiros gostam disto: