Crescimento de manifestações em apoio a Bolsonaro gera preocupação em adversários políticos

Postulantes estão impressionados com o número de apoiadores que foram às ruas neste mês.

Com três semanas consecutivas de manifestações em apoio ao governo federal, animou o presidente Jair Bolsonaro e ligou o alerta em adversários políticos.

Bolsonaro, que segundo o Datafolha perde para o ex-presidente Lula em todas as sondagens, não está nem um pouco inquieto com o recente levantamento.

Conforme registrou o Conexão Política, o instituto carrega um histórico bastante negativo por tradicionalmente errar resultados eleitorais, além de cravar números bem distantes dos resultados oficiais.

Após as manifestações de ontem, realizadas em diversas cidades do país, tendo a Esplanada dos Ministérios, em Brasília, como palco central, a oposição já fala em uma possível vitória de Bolsonaro ainda em primeiro turno.

Ele, que é tido como o adversário mais difícil de ser enfrentado em qualquer cenário de 2022, agora causa grandes dúvidas na cúpula petista, que passou questionar se o Lula é realmente capaz de alçar votos suficientes para chegar no segundo turno.

O fato de Bolsonaro ainda reunir multidão de apoiadores de ponta-a-ponta do país gera um temor de que os números das ruas evidenciem a ‘onda conservadora’ de forma concreta e contínua — desmontando a narrativa de que o chefe do Executivo não mais conseguiria repetir o sucesso político de 2018.

Agora, a estratégia da oposição é buscar unir forças para garantir a possibilidade de Lula fixar espaço no segundo turno — cientes de que, sem dúvidas, é cada vez mais difícil discursar que há uma ‘desidratação’ contra a figura/imagem de Bolsonaro.

Inclusive, já têm nomes cogitando desistir do pleito do ano que vem para tentar ‘doar’ votos ao lulopetismo.

Guiado por multidão de apoiadores, Bolsonaro faz passeio de moto no Rio de Janeiro

Mandatário foi recepcionado por milhares de simpatizantes.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, fez um passeio de moto na manhã deste domingo (23) no Rio de Janeiro.

A manifestação contou com a presença de dezenas de políticos e milhares de apoiadores de ponta a ponta do estado.

Bolsonaro chegou ao Rio de helicóptero, por volta das 9h30, e foi recepcionado pelo governador Cláudio Castro no Parque Olímpico, na Zona Oeste da cidade.

Cercado por uma multidão, o presidente percorreu por várias vias da capital fluminense e seguiu o trajeto de cerca de 60 quilômetros até o Monumento dos Pracinhas, no Aterro do Flamengo, Zona Sul. Diversas vias foram interditadas para o ato político de hoje.

De acordo com a Polícia Miliar, mais 20 unidades da corporação, com cerca de 1.000 agentes, foram convocados para efetuar a segurança do evento.

Trajados de verde e amarelo, apoiadores do governo Bolsonaro carregavam bandeiras do Brasil e cartazes com palavras de ordem, incluindo o acionamento do artigo 142 da Constituição e críticas aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Em determinado momento do percurso, o chefe o executivo discursou em um carro de som no Aterro do Flamengo, onde defendeu as liberdades individuais e teceu fortes críticas a governadores e prefeitos que fecharam comércios, indústrias e outros tipos de estabelecimentos.

Segundo Bolsonaro, a culpa do desemprego e da fome que assolam o país neste período de pandemia é culpa dos Estados e Municípios.

Fonte: CP.

%d blogueiros gostam disto: