Ibovespa enfrenta nesta sexta os estragos da quinta sangrenta e alta de juros

Investidores também se preparam para provável reajuste nos combustíveis.
O feriado de Corpus Christi foi um respiro não só para o trabalhador brasileiro. A bolsa local escapou de mais uma forte sangria no mercado financeiro por conta dos temores a uma possível recessão. Nos Estados Unidos, o S&P 500 caiu 3,25% na quinta, enquanto as ADRs brasileiras negociadas em Nova York levaram um tombo de 4,48%.
Segundo o JP Morgan, a queda das ações americanas indicam uma probabilidade de 85% de uma recessão nos EUA, com base em análises do S&P 500 nas últimas 11 recessões.
Uma resposta do mercado brasileiro para o aumento da Selic também foi adiada para esta sexta. Na última quarta, o Copom elevou em 0,5 ponto percentual a taxa básica de juros, de 12,75% a 13,25%. O Banco Central ainda indicou que deve vir uma elevação semelhante, ou de 0,25 p.p., em agosto.
O objetivo da autoridade monetária é controlar a inflação que segue em disparada mundo afora. No Brasil, deve vir mais um aumento de preços nos combustíveis, o que pressiona os preços como um todo.
Ontem, o conselho de administração da Petrobras se reuniu para preparar novos aumentos no diesel e na gasolina, que não sobem há um tempo, apesar das altas nos preços internacionais.
No caso da gasolina, são quase 100 dias sem aumentos. Este é o maior período de estabilidade de preço nas refinarias desde 2016, quando o ex-presidente Michel Temer (MDB) e o então presidente da companhia inauguraram a política de paridade internacional dos preços que, em tese, vigora até hoje.
Por pressão do governo – que quer evitar novas escaladas nas bombas em ano eleitoral – o preço da gasolina já está 14% abaixo da cotação internacional. O diesel está com uma defasagem de 18%. Os dados são da Abicom (Associação Brasileira dos Importadores e Combustíveis). Mesmo com protestos em Brasília, a Petrobras deve anunciar novos preços para os combustíveis, segundo apuração do Valor Econômico.
Porém, nem tudo conspira contra o mercado de renda variável local. Os futuros de ações operam no azul nesta manhã, em um sinal de alívio ao fim de uma semana tensa para as bolsas.

Fonte: Você S/A.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: