9 de dezembro de 2023 17:57
Durante sessão de julgamento da Seção Criminal do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO) na manhã desta quarta-feira, 1, o desembargador afirmou que, em sua opinião pessoal, a PM deveria deixar de existir.

Em viagem à China, o governador Ronaldo Caiado (UB) gravou um vídeo para comentar a afirmação feita pelo desembargador Adriano Roberto Linhares Camargo sobre a Polícia Militar do Estado de Goiás (PM-GO). Durante sessão de julgamento da Seção Criminal do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO) na manhã desta quarta-feira, 1, o desembargador afirmou que, em sua opinião pessoal, a PM deveria deixar de existir.

Adriano Roberto Linhares Camargo disse no julgamento: “Uma reflexão pessoal: para mim, tem que acabar a Polícia Militar e instituir uma forma diferente de atuar na investigação e repressão ao crime […]. Vemos nos jornais a grande quantidade de confrontos com a PM em que nenhum policial leva um tiro e morrem quatro, cinco, seis civis.”

Tratando o desembargador por “você”, Ronaldo Caiado afirmou: “Tenho orgulho de ser o comandante em chefe da PM […]. Você está atentando contra o Estado Democrático de Direito ou está cooptado pelas forças do crime no estado de Goiás.” O governador afirmou que a fala deve ser avaliada pelo Conselho de Ética do Tribunal de Justiça, e que a instituição deve lhe impor o impeachment, pois a opinião do desembargador não estaria à altura da liturgia do cargo.

“Respeite a PM do estado de Goiás, que está sob meu comando. Entendeu bem? Quem responde por ela sou eu. Já mandei o procurador geral do Estado de Goiás, Rafael Arruda, encaminhar um documento consistente para encaminhar ao corregedor e aplicar as penas ao cidadão que não tem qualificação mínima para ser desembargador no estado de Goiás”, concluiu o governador.

Fonte: Terra Brasil Notícias

About Author

Descubra mais sobre

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue lendo

%d