23 de abril de 2024 04:47
Nesta segunda-feira (19), o governo israelense deu até o início do Ramadã, o mês sagrado do Islã, em 10 de março, para o grupo terrorista palestino Hamas libertar os reféns sequestrados em 7 de outubro do ano passado e evitar uma ofensiva em larga escala na cidade de Rafah, no sul da Faixa de Gaza.

Nesta segunda-feira (19), o governo israelense deu até o início do Ramadã, o mês sagrado do Islã, em 10 de março, para o grupo terrorista palestino Hamas libertar os reféns sequestrados em 7 de outubro do ano passado e evitar uma ofensiva em larga escala na cidade de Rafah, no sul da Faixa de Gaza.

Rafah fica na fronteira com o Egito e abriga atualmente 1,5 milhão de pessoas, muitas delas refugiadas palestinas de outras regiões de Gaza e que não teriam mais para onde fugir no caso de uma incursão israelense.

“O mundo e os líderes do Hamas devem saber que se nossos reféns não estiverem em casa até o Ramadã, os combates continuarão na área de Rafah”, disse o ministro do gabinete de guerra de Israel, Benny Gantz.

“Faremos isso de modo coordenado, em diálogo com nossos parceiros americanos e egípcios, para facilitar a evacuação e reduzir ao mínimo o número de vítimas civis”, acrescentou o ministro.

Fonte: Gazeta Brasil

About Author

Queremos ouvir você, deixe seu comentário, será um prazer respondê-lo.

Descubra mais sobre

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading