23 de maio de 2024 12:32

Diretoria, comissão técnica e jogadores da SE Palmeiras, comemoram a conquista do Campeonato Paulista, Série A1, após jogo contra a equipe do Santos FC, na arena Allianz Parque. (Foto: Cesar Greco/Palmeiras/by Canon)

Depois de perder o jogo de ida por 1 a 0, na Vila Belmiro, o Palmeiras venceu o Santos por 2 a 0, neste domingo (07), no Allianz Parque, e conquistou o terceiro título consecutivo do Campeonato Paulista

Depois de perder o jogo de ida por 1 a 0, na Vila Belmiro, o Palmeiras venceu o Santos por 2 a 0, neste domingo (07), no Allianz Parque, e conquistou o terceiro título consecutivo do Campeonato Paulista, igualando o feito de 1932/33/34 – o Verdão também foi campeão em 2022 e 2023, diante do São Paulo e do Água Santa, respectivamente. Os gols da vitória palestrina foram marcados por Raphael Veiga, de pênalti, e Aníbal Moreno.

Esta foi a 14ª final que o Palmeiras disputou desde agosto de 2020, quando faturou o Paulista diante do Corinthians. São nove títulos (Paulista 2020, 2022, 2023 e 2024, Copa do Brasil 2020, Supercopa do Brasil 2023, Libertadores 2020 e 2021 e Recopa Sul-Americana 2022) e cinco vices (Supercopa do Brasil 2021 e 2024, Recopa Sul-Americana 2021, Paulista 2021 e Mundial 2021). Desconsiderando as disputas da Supercopa do Brasil e da Recopa Sul-Americana, que já eram duelos finais, foi a 9ª decisão em 15 torneios disputados com fases prévias neste mesmo período.

O Palmeiras conquistou o seu 11º título em um período de três anos e oito meses. Campeão paulista no início de agosto de 2020 com Vanderlei Luxemburgo no comando, o clube faturou em seguida, sob a batuta de Abel Ferreira, a Libertadores e a Copa do Brasil em 2020, a Libertadores em 2021, a Recopa Sul-Americana, o Paulista e o Campeonato Brasileiro em 2022, a Supercopa do Brasil, o Paulista e o Brasileiro em 2023 e o Paulista em 2024. O Verdão também alcançou a quinta temporada consecutiva com ao menos um título conquistado, feito que havia sido obtido apenas uma vez na história do clube, de 1932 a 1936.

Presente nas últimas cinco finais do Campeonato Paulista (série recorde na história do clube e segunda maior no geral, atrás apenas das oito finais seguidas do Santos entre 2009 a 2016), o Palmeiras disputou a sua 17ª decisão estadual (incluindo jogos-desempate de edições em pontos corridos). De 17, venceu dez e perdeu sete. São sete finais contra o Corinthians (quatro títulos e três vices), três contra o São Paulo (um título e dois vices), três contra o Santos (dois títulos e um vice), uma contra o extinto Paulistano (campeão) e três contra times do interior: Internacional de Limeira (vice em 1986), Ponte Preta (campeão em 2008) e Água Santa (campeão em 2023).

Campeão em 2020, 2022, 2023 e 2024, o Palmeiras conquistou o quarto título estadual em cinco anos e o segundo tricampeonato da história do clube, igualando o feito de 1932/33/34. O extinto Paulistano é o único tetracampeão (1916/17/18/19), enquanto o Corinthians soma quatro tris (1922/23/24, 1928/29/30, 1937/38/39 e 2017/18/19) e o Santos soma três (1960/61/62, 1967/68/69 e 2010/11/12). O São Paulo nunca atingiu o feito.

O jogador Aníbal Moreno, da SE Palmeiras, celebra seu gol contra a equipe do Mirassol, em partida válida pela décima rodada do Campeonato Paulista, na Arena Barueri. (Foto: Fabio Menotti/Palmeiras/by Canon)

O Verdão é o clube que mais vezes terminou o Campeonato Paulista entre os dois primeiros colocados (53 vezes, sendo 26 vezes campeão e 27 vice), seguido pelo Corinthians, com 51. Em edições consecutivas, o Santos é o recordista com oito (2009 a 2016 e 1955 a 1962), seguido pelo Palmeiras de 1931 a 1937, com sete. Na sequência, com cinco, aparecem o Palmeiras de 1919 a 1923, de 1992 a 1996 e de 2020 a 2024, o Paulistano de 1917 a 1921 e o São Paulo de 1930 a 1934.

No Allianz Parque, o Palmeiras foi campeão pela nona vez. Desde a inauguração, em novembro de 2014, o clube conquistou no local o Campeonato Paulista em 2020, 2022, 2023 e 2024, a Copa do Brasil em 2015 e 2020, o Campeonato Brasileiro em 2016 e 2022 e a Recopa Sul-Americana em 2022. Incluindo os períodos de Parque Antarctica e Estádio Palestra Itália, o Verdão soma mais 14 conquistas em casa: a Copa Libertadores em 1999, a Copa Mercosul em 1998, o Torneio Rio-São Paulo em 1933, o Campeonato Paulista em 1926, 1933, 1936, 1976, 1996 e 2008, o Campeonato Paulista Extra em 1926 e 1938 e o Torneio Início do Campeonato Paulista em 1927, 1939 e 1969.

O Palmeiras já disputou 60 jogos de mata-mata no Allianz Parque, inaugurado no final de 2014. Destes, foram 46 duelos de volta ou de jogo único, com o Verdão levando a melhor em 35 e a pior em 11. Pelo Paulista, em 17 duelos de volta ou de jogo único, o Palmeiras ficou com o título em quatro, avançou de fase em 10, foi eliminado em dois e ficou com o vice em um. O Maior Campeão do Brasil venceu os últimos oito mata-matas de Paulista no Allianz Parque: quartas, semi e final de 2022, quartas, semi e final de 2023 e semi e final de 2024.

O Palmeiras está invicto há oito jogos no Allianz Parque, todos com vitória. A sequência começou na goleada por 5 a 0 sobre o São Paulo pelo Campeonato Brasileiro de 2023. Depois, foram triunfos sobre Bahia (1 a 0), América-MG (4 a 0) e Fluminense (1 a 0), ainda pelo Brasileiro, e Inter de Limeira (3 a 2), Santos (2 a 1), Novorizontino (1 a 0) e Santos novamente (2 a 0), pelo Paulista de 2024.

Palmeiras e Santos disputaram uma final de campeonato pela 8ª vez na história, e a vantagem é alviverde de cinco títulos contra três. O Verdão levou a melhor no Torneio Início de 1942, no Campeonato Paulista de 1959, na Copa do Brasil de 2015, na CONMEBOL Libertadores de 2020 e, agora, no Campeonato Paulista de 2024. Já o Alvinegro foi campeão no Torneio Início Extra de 1926, no Torneio Início de 1937 e no Campeonato Paulista de 2015. Em 1927, 1947 e 1996, o Maior Campeão do Brasil conquistou o título paulista por pontos corridos após vitórias sobre o Santos.

Clube que o Palmeiras mais venceu na história (152 vezes), no qual mais fez gols (588) e o segundo que mais enfrentou (352 jogos, atrás apenas do Corinthians, com 388 jogos), o Santos tem também a maior desvantagem diante do Verdão, com 43 vitórias a menos.

Veja os melhores momentos:

MARCAS COLETIVAS E INDIVIDUAIS

Único técnico da história do Palmeiras a conquistar títulos em cinco temporadas seguidas, Abel Ferreira alcançou Oswaldo Brandão no topo da lista de treinadores mais vezes campeão pelo clube – o português soma dez taças (duas Libertadores, uma Recopa Sul-Americana, dois Brasileiros, uma Copa do Brasil, uma Supercopa do Brasil e três Paulistas), assim como Brandão (três Brasileiros, quatro Paulistas, um Laudo Natel, uma Taça Cidade de São Paulo e um Torneio Início).

Abel também entrou para o seleto grupo dos técnicos tricampeões paulistas – em toda a história, apenas cinco treinadores haviam atingido o feito: Guido Giacominelli (pelo Corinthians em 1922/23/24), Humberto Cabelli (pelo Palestra Italia em 1932/33/34), Lula (pelo Santos em 1960/61/62), Antoninho Fernandes (pelo Santos em 1967/68/69) e Fabio Carille (pelo Corinthians em 2017/18/19). Entre os estrangeiros mais vezes campeão paulista, atingiu o primeiro posto ao lado do italiano Giacominelli, do uruguaio Cabelli e do português Joreca (campeão em 1943,1945 e 1946).

Weverton, Gustavo Gómez, Marcos Rocha e Mayke alcançaram o topo da lista dos maiores campeões da história do clube – com 12 títulos cada, o quarteto agora está ao lado de Dudu, Ademir da Guia e Junqueira.

Weverton também alcançou Oberdan Cattani como goleiro com mais títulos paulistas pelo Palmeiras (quatro, ao lado de Oberdan).

Raphael Veiga, Rony, Luan e Zé Rafael pularam do 10º para o 8º lugar na lista de maiores campeões pelo Palmeiras – agora somam 11 conquistas, ao lado de Lima e Waldemar Fiume.

Gabriel Menino assumiu a 14ª posição – chegou a 10, deixando para trás Carnera e Oberdan Cattani e alcançando Olegário Dudu. Neste caso, também se isolou como quarto jogador formado nas categorias de base do Palmeiras com mais títulos pelo clube, superando Oberdan e ficando atrás apenas de Lima e Waldemar Fiume, com 11, e Junqueira, com 12.
Piquerez e Breno Lopes alcançaram a 18ª posição – chegaram a oito, ao lado de Del Nero, Gengo, Sérgio e Tunga.

Endrick é o jogador do elenco com mais títulos paulistas pelo Palmeiras somando Base e Profissional, com sete (Sub-11 em 2017, Sub-13 em 2018, Sub-15 em 2019 e 2021, Sub-20 em 2021 e Profissional em 2023 e 2024), enquanto Marcelo Lomba é o atleta do elenco com mais títulos estaduais somando outros clubes, com nove (três Paulistas, dois Baianos e quatro Estaduais do Rio).

Já Vanderlan é o que mais tem títulos estaduais consecutivos, somando Base e Profissional, com seis: Sub-20 em 2019, 2020 e 2021 e Profissional em 2022, 2023 e 2024.

Jogador com mais gols em finais na história do Palmeiras, com 12 bolas na rede, e com mais gols pelo clube em clássicos paulistas neste século, com 17, Raphael Veiga igualou Dudu como maior artilheiro do atual elenco em Campeonato Paulista (20 bolas na rede) e de se isolou como maior artilheiro do Palmeiras neste século (89 gols).

Outras marcas:

Weverton completou 350 partidas pelo Palmeiras. No clube desde 2018, ele é o 24º atleta que mais atuou em toda a história alviverde (atrás de Geraldo Scotto, com 356), o 6º entre os goleiros (atrás de Oberdan, com 358) e o 2º do atual elenco (atrás só de Dudu, com 443).

Piquerez se isolou como o uruguaio com mais triunfos pelo Palmeiras na história (86).

Marcos Rocha alcançou a 36ª posição no ranking de atletas com mais jogos pelo Palmeiras na história (293, ao lado de Dema e Ferrari).

Mayke alcançou a 49ª posição no ranking de atletas com mais jogos pelo Palmeiras na história (267, ao lado de Canhotinho e Leivinha). Também alcançou a 7ª posição no ranking de atletas com mais jogos pelo Palmeiras no Allianz Parque (112, ao lado de Gustavo Scarpa).

Rony alcançou a 9ª posição no ranking de atletas com mais partidas pelo Palmeiras no Allianz Parque (108, ao lado de Willian Bigode).

Fonte: SE Palmeiras.

About Author

Queremos ouvir você, deixe seu comentário, será um prazer respondê-lo.

Descubra mais sobre

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading