15 de junho de 2024 21:55
No cenário global, a USP ficou em 92º lugar. Mesmo assim, a universidade continua a se destacar em quatro das nove métricas avaliadas.

No cenário global, a USP ficou em 92º lugar. Mesmo assim, a universidade continua a se destacar em quatro das nove métricas avaliadas.

A edição de 2025 do QS World University Ranking, publicado pela Quacquarelli Symonds do Reino Unido, trouxe uma mudança significativa: a Universidade de São Paulo (USP) não ocupa mais a primeira posição na América Latina. A instituição foi superada pela Universidad de Buenos Aires (UBA), da Argentina.

No cenário global, a USP ficou em 92º lugar. Mesmo assim, a universidade continua a se destacar em quatro das nove métricas avaliadas, sendo elas: reputação acadêmica, reputação do empregador, resultados de emprego e sustentabilidade.

Outras três universidades brasileiras também figuram entre as 500 melhores do mundo. A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) ocupa o 232º lugar, a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) está na 304ª posição e a Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp) ficou em 489º lugar.

Desempenho das Universidades Brasileiras

A Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) se destacou na proporção de professores e alunos. A Universidade Federal do Paraná (UFPR) foi a melhor brasileira em termos de proporção de alunos internacionais, enquanto a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ) liderou na proporção de professores internacionais.

Segundo a QS, as universidades brasileiras mostraram melhorias significativas na taxa de emprego de graduados, com 63% das instituições subindo de posição na métrica de resultados de emprego. Além disso, o Brasil lidera em sustentabilidade na América Latina, com estratégias progressivas em meio ambiente, social e governança e iniciativas de desenvolvimento sustentável.

Desafios e Colaborações

Apesar dos avanços, o Brasil enfrenta desafios no impacto da pesquisa, com uma queda de 89% nas citações por docente. No entanto, o país possui a maior pontuação média de colaboração internacional na América Latina.

Para o vice-presidente sênior da QS, Ben Sowter, as universidades brasileiras estão em progresso. “Lideradas pela prestigiosa Universidade de São Paulo, há todas as oportunidades para que o ensino superior brasileiro continue a crescer com investimentos direcionados e estratégias eficazes”, afirmou ao jornal O Estado de S. Paulo.

Parcerias estratégicas de pesquisa, como a recente colaboração entre a USP e o Imperial College London, são vistas como fundamentais para impulsionar a pesquisa de ponta e o progresso futuro do Brasil, segundo Sowter.

Ranking Global e Destaque Internacional

O ranking mundial de 2025 incluiu 1,5 mil universidades de 106 sistemas de ensino superior. Os Estados Unidos lideram, com 197 instituições classificadas, seguidos pelo Reino Unido, com 90, e a China, com 71. O Brasil tem 35 universidades classificadas, com sete subindo na tabela, quatro descendo e 24 mantendo suas posições.

Globalmente, o Massachusetts Institute of Technology (MIT) mantém a liderança pelo 13° ano consecutivo. O Imperial College London está em segundo lugar, seguido pela Universidade de Oxford e pela Universidade de Harvard, em terceiro e quarto lugares, respectivamente.

A Universidade de Cambridge completa o top 5. Suíça e Singapura também aparecem entre os dez primeiros, com o Instituto Federal Suíço de Tecnologia (ETH Zurich) e a Universidade Nacional de Singapura (NUS) em sétimo e oitavo lugares, respectivamente.

Fonte: Revista Exilio.

About Author

Queremos ouvir você, deixe seu comentário, será um prazer respondê-lo.

Descubra mais sobre

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading