15 de abril de 2024 12:29
Menos de 24 horas foi o tempo que a arquidiocese levou para arquivar a denúncia feita na última segunda-feira (22) pelo presidente da Câmara Municipal, vereador Milton Leite (União).

A Arquidiocese de São Paulo arquivou a denúncia contra o padre Júlio Lancellotti na tarde desta terça-feira (23). Foi alegado pela Cúria Metropolitana do Estado, responsável por analisar o caso, que o vídeo de conteúdo sexual é o mesmo enviado na primeira denúncia contra o pároco em 2020. Anteriormente a rejeição da denúncia foi por “ausência de materialidade”, já este ano o motivo foi que não houve “convicção suficiente”.

Menos de 24 horas foi o tempo que a arquidiocese levou para arquivar a denúncia feita na última segunda-feira (22) pelo presidente da Câmara Municipal, vereador Milton Leite (União). O cardeal dom Odilo Scherer, arcebispo de São Paulo, é quem recebeu o material.
Ao anunciar a decisão, a arquidiocese desconsiderou a perícia que atesta a autenticidade do vídeo estrelado por Júlio Lancellotti. Os peritos Reginaldo Tirotti e Jacqueline Tirotti analisaram o estado de conservação do vídeo, examinaram cada quadro dos filmes, realizaram os exames prosopográficos (técnica que identifica as características faciais), inspecionaram os áudios e comprovaram sua integridade ao longo de 81 páginas.

O vídeo em questão foi gravado em fevereiro de 2019 por um adolescente de 16 anos. A cena inicial exibe uma tela de celular com trocas de mensagens no aplicativo WhatsApp. Em seguida, a videochamada começa e a câmera oscila entre as partes íntimas e o rosto do padre.

Fonte: Diário do Poder

About Author

Queremos ouvir você, deixe seu comentário, será um prazer respondê-lo.

Descubra mais sobre

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading