23 de abril de 2024 04:41
Parlamentares do partido Novo, tanto na Câmara dos Deputados quanto no Senado, entre eles os deputados Marcel van Hattem (Novo-RS) e Adriana Ventura (Novo-SP), juntamente com o senador Eduardo Girão (Novo-CE), anunciaram neste domingo (18) a apresentação de um pedido ao procurador-geral da República, Paulo Gonet, para que seja iniciada uma investigação sobre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Parlamentares do partido Novo, tanto na Câmara dos Deputados quanto no Senado, entre eles os deputados Marcel van Hattem (Novo-RS) e Adriana Ventura (Novo-SP), juntamente com o senador Eduardo Girão (Novo-CE), anunciaram neste domingo (18) a apresentação de um pedido ao procurador-geral da República, Paulo Gonet, para que seja iniciada uma investigação sobre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A iniciativa ocorre após Lula comparar as operações militares de Israel na Faixa de Gaza ao Holocausto, durante uma entrevista na Etiópia.

Os parlamentares do Novo alegam que as declarações de Lula configuram crime de racismo. Vale destacar que, na última sexta-feira (16), o partido Novo já havia apresentado uma notícia-crime contra Lula, acusando-o de praticar o crime de terrorismo, após o anúncio de aportes extras à agência de refugiados palestinos da ONU.

Lula fez declarações polêmicas durante uma coletiva de imprensa em Adis Abeba, capital da Etiópia, onde comparou as ações de Israel na Faixa de Gaza ao extermínio de judeus promovido por Adolf Hitler durante a Segunda Guerra Mundial. A fala gerou reações, inclusive do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu.

O deputado Marcel van Hattem (Novo-RS) foi um dos primeiros a se manifestar nas redes sociais, criticando veementemente as declarações de Lula. Ele classificou a fala do ex-presidente como “criminosa, aberrante e antissemita”. Van Hattem ressaltou a necessidade de responsabilização de Lula pelos seus comentários contra Israel e o povo judeu, considerando a banalização do Holocausto como um ato de antissemitismo.

Lula, ao comentar a situação na Faixa de Gaza, afirmou: “O que está acontecendo na Faixa de Gaza com o povo palestino não existe em nenhum outro momento histórico. Aliás, existiu. Quando Hitler resolveu matar os judeus”.

O presidente da República está em uma viagem de cinco dias pelo continente africano, onde participou da cúpula da União Africana e teve encontros bilaterais com líderes africanos. Suas declarações geraram repercussão internacional e ampla discussão sobre o contexto histórico evocado por suas comparações.

Fonte: O Antagonista.

About Author

Queremos ouvir você, deixe seu comentário, será um prazer respondê-lo.

Descubra mais sobre

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading