23 de maio de 2024 12:25
Amália Barros contava com uma estreita amizade com a ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro, que a apoiou em sua candidatura nas eleições de 2022.

Amália Barros contava com uma estreita amizade com a ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro, que a apoiou em sua candidatura nas eleições de 2022.

A política brasileira foi abalada pela notícia do falecimento da deputada federal Amália Barros (PL-MT), vice-presidente do PL Mulher nacional. Aos 39 anos, a parlamentar faleceu na madrugada deste domingo (12/05) após um período de 11 dias hospitalizada, lutando contra complicações decorrentes de uma cirurgia para a remoção de um nódulo no pâncreas. Amália Barros, em seu primeiro mandato na Câmara dos Deputados, destacou-se por sua defesa incansável dos direitos das pessoas com deficiência.

Íntima da família Bolsonaro, Amália Barros contava com uma estreita amizade com a ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro, que a apoiou em sua candidatura nas eleições de 2022. Em diversas ocasiões, o ex-presidente Jair Bolsonaro hospedou-se na fazenda da deputada durante suas visitas ao Mato Grosso.

Durante um evento do PL Mulher em Aracaju, no Sergipe, no sábado (11/05), Michelle Bolsonaro fez um apelo por orações em favor de Amália, destacando sua resiliência diante de inúmeras batalhas pela vida. Nas redes sociais, neste domingo, Michelle expressou seu pesar, afirmando: “Vou te amar para sempre, minha amiga. Você está nos braços do Pai”.

Amália Barros dedicou seu mandato às causas das pessoas com deficiência e à oposição ao governo vigente. Nascida em Mogi Mirim (SP) e formada em Jornalismo, conquistou seu assento na Câmara com mais de 70.294 votos, cerca de 5% do total de votos do estado de Mato Grosso.

Sua jornada política foi marcada por desafios pessoais, incluindo a perda da visão do olho esquerdo aos 20 anos, devido a uma toxoplasmose. Após 15 cirurgias, ela optou pela remoção do olho e passou a utilizar uma prótese ocular.

Essa experiência pessoal moldou sua atuação política, tornando-a uma defensora ardente das questões relacionadas à toxoplasmose e à visibilidade das pessoas com visão monocular. Seu gesto característico de cobrir o olho esquerdo com a mão tornou-se um símbolo de suas atividades.

Amália Barros foi responsável por inspirar a Lei 14.126/2021, conhecida como Lei Amália Barros, que reconhece a visão monocular como deficiência sensorial. Além disso, fundou o Instituto Amália Barros, posteriormente renomeado como Instituto Nacional da Pessoa com Visão Monocular, promovendo campanhas de doação de próteses oculares e oferecendo assistência às pessoas com visão monocular.

Durante seu mandato, ela enfatizou causas relacionadas à saúde e à inclusão das pessoas com deficiência, enquanto criticava o governo e apoiava pautas alinhadas ao conservadorismo e liberalismo.

Em 2023, tornou-se vice-presidente nacional do PL Mulher, por convite de Michelle Bolsonaro, que preside o grupo, com o objetivo de aumentar a presença de mulheres conservadoras na política.

O velório de Amália Barros está marcado para este domingo às 16h, em um salão da prefeitura de Mogi Mirim. O sepultamento ocorrerá nesta segunda-feira às 11h, no Cemitério Municipal da Saudade, no mesmo município.

Fonte: Revista Exílio.

About Author

Queremos ouvir você, deixe seu comentário, será um prazer respondê-lo.

Descubra mais sobre

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading