25 de fevereiro de 2024 00:16

Em uma complexa operação noturna, as Forças Especiais de Israel resgataram dois reféns mantidos pelo Hamas em Rafah, no sul da Faixa de Gaza, na madrugada desta segunda-feira (12), marcando a primeira retirada bem-sucedida de reféns do grupo terrorista em meses.

As Forças de Defesa de Israel afirmaram que Fernando Marman, 61 anos, e Louis Har, 70 anos, estavam em boas condições após o resgate, que envolveu confrontos com terroristas do Hamas e grandes ataques aéreos israelenses em Rafah.

Os dois haviam sido sequestrados do Kibbutz Nir Yitzhak na manhã de 7 de outubro, quando terroristas liderados pelo Hamas mataram 1.200 pessoas e mantiveram 253 reféns em um ataque assassino no sul de Israel.

Às 3 da manhã desta segunda-feira, o Exército de Israel telefonou para os familiares de Luis Har e Fernando Marman: “Nós os temos em nossas mãos. Venham vê-los no hospital Sheba Tel Hashomer”. A notícia foi tão boa que ninguém podia acreditar: “Ficamos chocados”, confessou pouco depois Edan Begerano, genro de Har.

Menos de duas horas antes, um esquadrão de soldados israelenses havia invadido um apartamento em Rafah, ao sul da Faixa de Gaza. Eles tinham informações de inteligência precisas: Marman e Har estavam lá. Este foi o dia 128 de seu cativeiro após serem sequestrados pelo grupo terrorista.

As forças especiais entraram no apartamento, localizado no segundo andar, às 1h49 da manhã desta segunda-feira, acompanhadas um minuto depois por uma série de ataques aéreos nos arredores, disse o porta-voz militar Daniel Hagari. Membros da equipe de resgate cobriram os reféns com seus corpos enquanto uma intensa batalha eclodia em vários lugares contra milicianos do Hamas.

“Houve um fogo intenso do ar. Fogo foi aberto dos edifícios próximos. Foi aí que a Força Aérea atacou”, explicou Hagari. Ao mesmo tempo, a unidade de comando Shayetet 13 da Marinha e a 7ª Brigada Blindada forneciam cobertura. A extração dos reféns foi realizada sob fogo.

Hagari acrescentou que “muitos terroristas foram eliminados esta noite nesta ação”, incluindo pelo menos três no prédio onde estavam Har e Marman. Segundo o Hamas, cerca de 100 pessoas morreram.

No meio da batalha, que deixou apenas um ferido leve nas tropas de Israel, Marman e Har foram levados para uma “zona segura” próxima e passaram por uma rápida triagem médica antes de serem evacuados por ar para o hospital Sheba. Segundo relatos, estavam em boas condições físicas. São apenas o segundo e o terceiro reféns a serem resgatados com segurança. O único caso anterior foi o de uma soldado, em novembro de 2023.

O porta-voz militar disse que a operação se baseou em “informações precisas” e que o local estava sob vigilância há algum tempo. Ele acrescentou que Netanyahu havia se reunido com o chefe do exército e outros funcionários de alto escalão enquanto a operação estava em andamento.

Após uma hora, eles foram retirados de Rafah em veículos blindados e depois levados de helicóptero militar para o Centro Médico Sheba em Ramat Gan para exames mais detalhados.

“Esta foi uma operação de resgate complexa sob fogo baseada em inteligência sensível. Uma operação profissional e precisa”, disse Hagari.

“É o tipo de operação para a qual nos preparamos e estávamos esperando as condições que tornassem possível realizá-la”, disse, acrescentando que as FDI e o Shin Bet estavam trabalhando nos planos de resgate “por muito tempo” e concluiu: “Foi uma noite muito tensa e muito emocionante”.

O resgate é uma enorme luz de esperança para os israelenses, embora seja um pequeno passo em direção à libertação de todos os reféns. Acredita-se que os mais de 100 reféns restantes estejam dispersos e escondidos em túneis, provavelmente em condições precárias.

Har e Marman foram sequestrados juntos. Há um vínculo familiar entre eles. Har, de 70 anos, é cunhado de Fernando (60), por ser parceiro de Clara Marman, outra argentina que foi sequestrada, mas que foi libertada junto com outros nove reféns em novembro, durante uma trégua entre Israel e a organização terrorista. Os três fazem parte de uma família que viveu pessoalmente as ações do Hamas.

No início de dezembro, a filha de Clara Marman, Guefen Sigal, contou em coletiva de imprensa como foi o momento em que membros de sua família foram levados. Emocionada e sem conseguir tirar da cabeça a última imagem que recebeu do quarto seguro da casa do kibutz de sua família, ela disse: “Luis (Har) tirou uma selfie daquele espaço onde esperavam que os mísseis lançados de Gaza parassem de explodir”.

Mas o pior estava por vir. Minutos depois, começaram a ouvir os terroristas entrando na casa e destruindo tudo em seu caminho. Para evitá-los, Luis colocou uma cadeira e um bastão contra a porta. Ele não conseguiu evitar.

Agora, não há mais membros dessa família em Gaza.

O genro de Har, Edan Begerano, disse aos repórteres que ele e sua esposa puderam ver os reféns libertados no hospital. Ambos estavam pálidos e magros, mas se comunicavam bem e não estavam desorientados.

O genro de Har, Edan Begerano, contou aos repórteres que ele e sua esposa puderam ver os reféns liberados no hospital. Ambos estavam pálidos e magros, mas se comunicavam bem e não estavam desorientados.

Luis Har é um pizzaiolo de prestígio tanto na família quanto no kibutz, além de ser conhecido por suas diversas atividades sociais e seu humor peculiar. Assim que viu o genro, disse: “É seu aniversário hoje… mazel tov!”.

Fonte: Gazeta Brasil

About Author

Queremos ouvir você, deixe seu comentário, será um prazer respondê-lo.

Descubra mais sobre

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading