23 de abril de 2024 05:08
Um idoso residente na remota Península de Kenai, no Alasca, faleceu no final de janeiro vítima da varíola do Alasca, marcando o primeiro óbito associado ao vírus recém-descoberto.

Um idoso residente na remota Península de Kenai, no Alasca, faleceu no final de janeiro vítima da varíola do Alasca, marcando o primeiro óbito associado ao vírus recém-descoberto. Denominada também como AKPV e estreitamente ligada à varíola, a infecção foi diagnosticada em apenas sete indivíduos desde sua identificação em 2015.

O homem, cuja identidade não foi revelada, estava imunocomprometido devido a tratamento contra o câncer. Ele percebeu uma “pápula vermelha sensível na axila direita” em setembro de 2023, o que levou à hospitalização em novembro devido à progressão extensiva de uma alegada celulite infecciosa, comprometendo a mobilidade de seu braço direito.

Após diversos exames, o paciente apresentou retardamento na cicatrização de feridas, desnutrição, insuficiência renal aguda e insuficiência respiratória antes de sucumbir em janeiro. Vivendo sozinho, sem histórico recente de viagens ou contato próximo com pessoas doentes ou lesões semelhantes, o homem revelou-se um enigma quanto à origem da infecção.

A varíola do Alasca, membro da família de vírus da ortopox e estreitamente relacionada à varíola, varíola bovina e varíola mpox (anteriormente conhecida como varíola dos macacos), é suspeita de ser zoonótica, transmitida possivelmente de pequenos roedores para humanos. A forma exata de disseminação do vírus permanece desconhecida para os cientistas.

Os sintomas da varíola do Alasca incluem lesões na pele, gânglios linfáticos inchados, dores musculares e articulares, sendo que pessoas imunocomprometidas enfrentam um risco aumentado de complicações graves.

As autoridades enfrentam dificuldades em determinar a fonte de exposição do homem ao vírus, embora ele tenha mencionado cuidar de um gato de rua em sua residência que o arranhou, sugerindo a possível transmissão. Após observar um inchaço vermelho na axila em setembro e receber antibióticos, seus sintomas persistiram, evoluindo para fadiga e dor acentuada na região e ombro.

Transferido para o hospital, o homem apresentou sintomas semelhantes à varíola, sendo diagnosticado positivo para varíola bovina após extensivos testes. Apesar de uma breve melhora com a terapia, ele acabou enfrentando complicações como atraso na cicatrização de feridas, insuficiência respiratória e renal, levando à sua morte.

Fonte: Catraca Livre

About Author

Queremos ouvir você, deixe seu comentário, será um prazer respondê-lo.

Descubra mais sobre

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading